Orientações Litúrgicas para o Ciclo do Natal – ANO B

cf.: Diretório da Liturgia, CNBB, 2017 e 2018

TEMPO DO ADVENTO

“O tempo do Advento possui dupla característica: sendo um tempo de preparação para as solenidades do Natal, em que se comemora a primeira vinda do Filho de Deus entre os homens, é também um tempo em que, por meio desta lembrança, voltam-se os corações para a expectativa da segunda vinda do Cristo no fim dos tempos. Por este duplo motivo, o tempo do Advento se apresenta como um tempo de piedosa e alegre expectativa” (NALC, n. 39).

Anotações

  1. O órgão e os outros instrumentos musicais devem usar-se, e o altar orna-se com flores, com aquela moderação que convém ao caráter próprio deste tempo, de modo a não antecipar a plena alegria do Natal do Senhor. No Domingo Gaudete (3o do Advento), pode-se usar a cor rosada (CB, no 236).
  2. Na celebração do matrimônio, seja dentro ou fora da Missa, dá-se sempre a bênção nupcial; mas admoestem-se os esposos a se absterem de pompa demasiada.
  3. Até o dia 16, inclusive, não se permitem as Missas para diversas necessidades, votivas ou cotidianas pelos defuntos, a não ser que a utilidade pastoral o exija (IGMR, no 333). Mas podem ser celebradas as Missas das memórias que ocorrem, ou dos Santos inscritos no Martirológio nos respectivos dias (IGMR, no 316b).
  4. Amanhã, começam as leituras dominicais do ano B.

 

PREPARAÇÃO PRÓXIMA DO NATAL – (17-24 de dezembro)

Os dias de semana deste período visam de modo mais direto à preparação do Natal do Senhor (NALC, n. 42).

O Ofício e a Missa são sempre do dia; mas pode haver comemoração facultativa de algum santo.

TEMPO DO NATAL

O Tempo do Natal se estende desde as I Vésperas do Natal do Senhor até o Domingo após o dia 6 de janeiro (NALC, n. 33). “E a comemoração do nascimento do Senhor, em que celebramos a ‘troca de dons entre o céu e a terra’, pedindo que possamos participar da divindade daquele que uniu ao Pai a nossa humanidade’ (Oração sobre as oferendas, Missa da noite de Natal). Na Epifania, celebramos a manifestação de Jesus Cristo, Filho de Deus, ‘luz para iluminar todos os povos no caminho da salvação’ (Prefácio da Epifania)”. Guia Litùrgico Pastoral, p. 12.

Anotações

  1. A Missa da Aurora não é conventual.
  2. Ao E se encarnou (no Credo), todos genufletem. Se o Credo for cantado: com os dois joelhos.
  3. Os sacerdotes podem celebrar ou concelebrar três Missas, contanto que sejam celebradas nas respectivas horas, e receber a espórtula de cada Missa.
  4. Nas Missas de Natal, usam-se regularmente as leituras propostas, com a possibilidade de escolher os textos mais apropriados de uma das três Missas, para a utilidade da respectiva assembleia (cf Lecionário Dominical, 73).
  5. Na primeira missa (“da noite”), após o Sinal da Cruz e a saudação do que preside, pode-se cantar ou recitar, do ambão, o Anúncio do Natal antes da entoação do Glória (cf. p.).

 

Ultimo dia do Ano –  31/12/2017

Nota: Hoje, último dia do ano civil, concede-se a Indulgência Plenária a todas as pessoas que, em comunidade, nas igrejas e oratórios públicos ou semipúblicos, rezarem ou cantarem o “Te Deum” em ação de graças (cf. Enchir. Indulgentiarum, n. 60).

+ Ao Rei dos Séculos Imortal e Invisível,
honra e glória pelos séculos dos séculos. Amém.

 

 

Tabela para o ano do Senhor de 2018

O ano de 2018 éANO B (São Marcos)
e as datas das festas móveis são as seguintes:

 

Festas Móveis Data
Epifania do Senhor (Domingo) 07 de janeiro
Batismo do Senhor 08 de janeiro
Quarta-feira de Cinzas 14 de fevereiro
Páscoa da Ressurreição 01 de abril
Ascensão do Senhor (Domingo) 13 de maio
Pentecostes 20 de maio
Santíssima Trindade 27 de maio
SS. Corpo e Sangue de Cristo 31 de maio
Sagrado Coração de Jesus 08 de junho
São Pedro e São Paulo (Domingo) 01 de julho
Assunção de N. Senhora (Domingo) 19 de agosto
Todos os Santos (Domingo) 04 de novembro
Solenidade de Cristo-Rei 25 de novembro
1° Domingo do Advento 02 de dezembro
Sagrada Família (Domingo) 30 de dezembro

Virgem Mãe de Aparecida, protegei-nos!